Estudo avaliará oportunidades da rota Bioceânica para municípios

Estudo avaliará oportunidades da rota Bioceânica para municípios

Sudeco integrará grupo que vai avaliar impactos da rodovia no Mato Grosso do Sul
Por Assessoria de Comunicação

Publicação: Qua, 20 Nov 2019 08:40:00 -0300

Última modificação: Qua, 20 Nov 2019 17:51:07 -0300

A Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura (Fapec) e a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) vão realizar os estudos sobre os impactos econômicos da rodovia Bioceânica no estado. O acerto foi definido nesta segunda-feira (18) na capital Campo Grande, entre representantes da União, do governo do estado, das duas instituições e o deputado Vander Loubet.

O superintendente do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), Nelson Vieira Fraga Filho, participou da reunião. “A instituição tem como missão promover a integração competitiva da produção regional na economia nacional e internacional. Temos expertise para colaborar muito com este projeto.”

Redução do custo Brasil, turismo e cultura

O governo do estado, segundo o acordo, criará um Comitê Gestor para acompanhar os estudos que indicarão como as vocações econômicas locais poderão ser potencializadas pelo traçado da via terrestre que deverá reduzir o custo Brasil e melhorar o desempenho da balança comercial brasileira. A Sudeco será uma das instituições integrantes do grupo.

Caberá à Fapec alocar os recursos para o projeto que vai avaliar como os municípios da região podem se desenvolver com a Bioceânica. A UFMS, por sua vez, realizará os estudos para a elaboração do Plano Diretor de Porto Murtinho, município na fronteira brasileira com o país, por onde passará a estrada.

Em todo seu traçado, a Bioceânica vai ligar os centros de produção agropecuária do Centro-Oeste aos portos do Chile. Com isso, o caminho das exportações brasileiras até os mercados da Ásia e Oceania será reduzido em cerca de 8 mil km e ficará mais barato transportar os produtos. Atualmente, as commodities nacionais precisam chegar ao Norte do país e passar pelo Canal do Panamá. Além das vendas para outros mercados, as autoridades esperam que o corredor rodoviário melhore o turismo e a integração cultural entre Brasil, Argentina, Paraguai e Chile.

Ponte em Porto Murtinho

Uma ponte entre Porto Murtinho, no Mato Grosso do Sul, e Carmelo Peralta, no Paraguai, vai viabilizar a ligação dos trechos que passam pelo Brasil e pelo país vizinho. A construção da estrutura caberá à Itaipu Binacional e cada país será responsável pelas respectivas cabeceiras. Além da nova ponte, o projeto prevê a ampliação da BR-267 no Mato Grosso do Sul.

Com informações da Agência Senado